Mês

julho 2021

  • Casas inteligentes

    Você gosta de tecnologia, internet e sofisticação? Gosta de ter o domínio e liberdade na palma das mãos? Então a casa inteligente é para você.

    Sendo acessível através de diversos dispositivos, conectados através da internet, a casa inteligente possibilita ao morador controlar muitas ações com um simples ‘clique’ ou comando de voz, como, por exemplo, o ar-condicionado, a iluminação, a tranca e abertura das portas, portões e janelas e a programação do alarme. Em alguns casos, é possível também ajustar a temperatura da água das torneiras ou chuveiros. 

    As casas inteligentes também permitem ligar, desligar e controlar aparelhos eletrônicos. Outro benefício é a segurança que proporcionam, pois pode-se monitorar toda a casa através do celular. 

    Para quem pensa que a casa inteligente é para os preguiçosos, engana-se. A iniciativa tem por objetivo ajudar o morador a economizar com gastos desnecessários com energia e água e a promover o consumo consciente. Para os idosos, promove a autonomia. 

    A construção é feita com materiais recicláveis e para se tornar viável é preciso do trabalho conjunto entre profissionais das áreas de Arquitetura, Tecnologia da Informação e Engenharia Civil. O pedreiro ou construtor também precisa ter experiência na área para que tudo ocorra dentro dos conformes. 

    De acordo com a Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (Aureside), atualmente existe uma média de 900 mil a 2 milhões de casas inteligentes no País – algo que em 2015 chegava perto de 300 mil.

     

      

  • Banheiros e cozinha é possível construí-los sem azulejos?

    A cozinha é um dos ambientes mais utilizados em uma residência, principalmente se ela for integrada a sala ou a área gourmet. Em virtude disso, cada vez mais tem se investido nesse espaço e buscado alternativas diferenciadas para ele. 

    Entre as opções está a de não azulejá-lo por completo. Mas isso dá certo? É possível? SIM! Basta aplicá-los apenas nas áreas que ficam em contato direto com a água, como, por exemplo, a área do fogão, pia e coifa. 

    Muitas vezes, o uso do azulejo pode até ser substituído por outros materiais. Precisa apenas que ele seja impermeável, como pedra, mármore, tijolos, madeira, granito. As paredes de cimento queimado também são ótimas opções e estão super em alta. Tudo irá depender do seu gosto, estilo e investimento. 

    Nos demais locais, invista em tintas adequadas como a lavável ou epóxi. Essa dica vale, inclusive, para os banheiros, onde você pode revestir apenas dentro do box e nos pisos e nos demais locais apenas pintar da maneira ideal. 

    A única desvantagem nesse caso é a manutenção. As pinturas devem ser refeitas, em média, após 1 ano e meio. No mais, você irá economizar com o revestimento, ficará livre do mofo e a limpeza será mais prática. 

    Outra sugestão é o uso de papéis de parede apropriados para áreas úmidas. A maioria é de fácil aplicação e limpeza. O custo benefício também é viável. 

    Importante salientar que não se deve esquecer de realizar uma boa vedação. 

     

     

     

  • O que é um empreendimento sustentável?

    Há alguns dias, falamos sobre casa sustentável (se você não conferiu, clique aqui). Hoje, o nosso tema será sobre os empreendimentos sustentáveis. Você sabe o que é? Já ouviu falar?

    A Organização das Nações Unidas (ONU) definiu desenvolvimento sustentável como a capacidade de satisfazer as necessidades da nossa geração sem comprometer as gerações futuras. Assim, o empreendimento sustentável é todo aquele que visa causar o menor tipo de dano possível ao meio ambiente, como a redução do consumo de alguns produtos e, por consequência, de lixo. São alguns exemplos, a troca de ar-condicionado por ambientes ventilados de forma natural; o uso de copos de vidro no local de copos de plástico; a parceria com cooperativas de reciclagem; o uso de folhas de rascunho; a redução do uso de papel e a economia na energia e na água. 

    A busca pelo bem-estar dos moradores, bairros ou comunidades ao redor do empreendimento também é uma característica de um empreendimento sustentável, assim como a separação dos resíduos, a promoção de campanhas sobre o cuidado com o meio ambiente e a ética com os fornecedores e colaboradores. 

    Em suma, um empreendimento sustentável é a união da responsabilidade ambiental com a responsabilidade social. 

    Durante os 25 anos de atuação, a Moura Leite busca, cada vez mais, se tornar um empreendimento sustentável.

  • Dicas de como usar pendentes na decoração da sua casa

    A iluminação traz vida ao ambiente. Isso não é novidade. Como obtê-la de forma precisa sem prejudicar a decoração?

    Uma dica é investir nos pendentes. Com designs cada vez mais modernos, deixam o ambiente mais aconchegante, bonito, com o destaque e a iluminação necessária. 

    Podem ser utilizadas no balcão da cozinha, na sala de jantar, no home office, no quarto e até no banheiro. 

    Antes do investimnto, deve-se pensar na funcionalidade dele. Após, pense no objetivo que quer alcançar ao instalar um pendente. Atente-se para o clima que deseja causar no ambiente. Para uma iluminação mais ampla, aposte no pendente com refletor; para uma iluminação mais contínua, invista no pendente em trilhos. Se você deseja obter mais estética ao local, o ideal é o pendente com uma iluminação mais difusa, nesse caso o de cúpula. Pendente com soquete proporciona uma iluminação mais concentrada e o aramado uma iluminação mais à mostra. 

    A altura ideal é variável. O conselho é acompanhar a instalação e ir ajustando conforme desejar. O importante é que fique, no mínimo, 20 cm do forro. 

    A quantidade depende do local a ser instalado, do tamanho e da sensação que quer causar. Quanto mais pendentes, mais leveza ao ambiente. Atenção, apenas, para não poluir demais e o excesso de iluminação atrapalhar a visibilidade de quem estiver no ambiente. 

    Outra observação importante é o tamanho do pendente. A escolha deve ocorrer conforme o local a ser instalado, o fluxo de pessoas e a iluminação desejada. O ideal é que não seja maior que o elemento em destaque e nem muito grande e baixo que possa causar acidentes, uma pessoa bater a cabeça nele, por exemplo.